SFB – Solidariedade França Brasil - Pelo direito da criança à educação

Ocupaz: Escuta Ativa e Estudos de Casos

Participação no Projeto Pega a Visão

No último  sábado (26/08/2017), tivemos a satisfação em participar de uma das ações do Projeto Pega a Visão – desafios de narrativas pelo celular, um curso livre sobre Direitos Humanos e Comunicação Comunitária idealizado por Juliana Sá e desenvolvido para jovens de comunidades da periferia do município do Rio de Janeiro, ocorrida na ONG Tatiane Lima, na comunidade do Batan. Juliana nos explica que o curso consiste em “uma proposta de intercâmbio com comunicadores de diferentes favelas do Rio de Janeiro e representantes de instituições ligadas as questões de Direitos Humanos, como objetivo de possibilitar aos jovens o entendimento sobre direitos a partir do seu olhar para o território”.

Pela metodologia desenvolvida pelo Projeto, os jovens levam a um convidado questões de direitos que eles conseguem identificar ou não em suas comunidades, com o encontro sendo orientado por aquilo que os jovens conseguem enxergar por meio, por exemplo, da fotografia realizada por celular. A cada encontro os jovens recebem um desafio que é trazer um produto (fotografia) relacionado a um tema a ser observado na comunidade. A Roda de Diálogo consiste na apresentação das fotografias, com intermediação de um convidado. Segundo Juliana, é “a partir dessa aproximação com o seu contexto e da ampliação de informações é que pretendemos motivá-los a se inteirar mais sobre o tema”.

A participação da Solidariedade França-Brasil, por intermédio do Gerente do Programa de Articulação por Direitos Edson Cordeiro dos Santos, foi para articular o olhar dos jovens na comunidade com os direitos das crianças e adolescentes.

O escritor norueguês  Jostein Gaarder, no livro Mistério de Natal, de 1992 nos fala que “[…] Um milagre acontece cada vez que uma nova criança vem ao mundo. É assim que o mundo é criado novamente debaixo do céu”. Para Edson Cordeiro, fica a mesma sensação ao ver o engajamento dos jovens nas questões dos direitos, “a cada vez que mais um jovem participa de alguma ação, nem tudo está perdido, nasce uma nova esperança debaixo do céu”.

Publicado em 31 agosto 2017